31/08/2009

Acidente em Nova Iguaçu

Um Grave Acidente envolvendo um Caminhao e um Onibus. Agora pouco Na Rodovia Presidente dutra Altura do KM183 em Nova Iguaçu,o motorista do caminhao perdeu o controle e entrou de baixo do onibus ninguem saiu ferido, Eu tentei reduzir o caminhao mas o freio emperrou ainda tentei desviar, mas  outros veiculos vinhao a tras  nao mesmo assim graças a deus  ele me salvou, disse o Motorista do Caminhao.

30/08/2009

Policiais sao baleados na entrada da favela.















A madrugada deste sábado na Avenida Automóvel Clube, em Vicente de Carvalho, Zona Norte, foi de pânico. Cinco policiais do 9º BPM (Rocha Miranda) ficaram feridos após intenso tiroteio com traficantes que se preparavam para invadir o Morro do Juramento. O confronto começou por volta das 3h30, quando PMs interceptaram caminhão baú que transportava cerca de 100 bandidos fortemente armados, que seriam do Comando Vermelho (CV).




Encurralados, os policiais pediram reforço. Enquanto aguardavam a chegada do Caveirão, PMs que bloqueavam o trânsito na via receberam a ajuda do cabo PM Mauro Silva Mendes. Lotado no 25º BPM (Cabo Frio), ele passava pelo local com sua Pajero blindada e deu cobertura aos PMs. Na tentativa de resgate dos soldados Telmo da Costa Lima, atingido por um tiro na cabeça, Valdecir Cordeiro de Jesus, ferido na perna, Alessandro Alves de Melo, baleado de raspão na cabeça, e Luciano Lopes de Oliveira, atingido na perna, o soldado Gustavo Ribeiro Meireles levou tiro de fuzil na boca.



Levados para o Hospital Salgado Filho, no Méier, Valdecir, Alessandro e Luciano foram medicados e liberados em seguida. Já os soldados Telmo e Gustavo foram operados e transferidos para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, e ainda correm risco de vida.



Mais tiroteio durante o dia



Durante a manhã, houve outra rápida troca de tiros, assustando moradores. No fim da tarde de ontem, um novo tiroteio no Morro do Juramento interrompeu por cerca de 12 minutos o trecho da linha 2 do metrô entre as estações Tomaz Coelho e Pavuna. A Avenida Martin Luther King chegou a ficar interditada por 20 minutos.

Plocicial Leva tiro no rosto


Rio - O policial Leonardo Simões Cristino, do batalhão de Policiamento de Vias Especias, o BPVE, foi baleado no rosto. Ele fazia patrulhamento pela Avenida Brasil, quando foi atingido.




Traficantes de drogas, que estavam na altura da Fazenda Botafogo, atiraram na patrulha quando o carro passou em frente ao conjunto residencial. O policial, mesmo ferido, pediu auxílio pelo rádio. O 9º Batalhão da PM, de Rocha Miranda, enviou patrulhas para o local. O ferido ia ser levado para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas, como não há cirurgião neste hospital, o policial foi levado para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo.







Carro atingido pelos bandidos e recuperado pela polícia.

28/08/2009

Perseguiçao policial acaba em 2 Acidente

asssalto, perseguição e dois acidentes de trânsito deixam 13 feridos

Um dos ônibus ficou com a frente destruída na batida, que deixou oito feridos. - Foto: Pablo Jacob

Uma suposta tentativa de assalto, que resultou numa perseguição policial com tiroteio pelas ruas de Vila Isabel e em dois acidentes de trânsito, acabou com 13 pessoas feridas na tarde desta quarta-feira. Tudo começou quando dois bandidos numa moto atiraram no ex-PM Denílson de Sá Fernandes, de 33 anos, na Rua Felipe Camarão, por volta das 15h30m. Ele trabalhava como segurança das lojas na rua e está internado em estado grave no Hospital do Andaraí.

Após o crime, viaturas do 6º BPM (Tijuca) iniciaram uma perseguição. A moto passou em alta velocidade pelo cruzamento das ruas Maxwell e Barão de Mesquita. Para não passar por cima da moto, o motorista do ônibus da linha 422, da Transurb, que vinha pela Rua Paula Brito, freou bruscamente. O ônibus que estava atrás, da linha 226A, da Viação Tijuquinha, não conseguiu parar e bateu na traseira do veículo da frente.

— O sinal estava aberto para mim. Tive que parar para evitar um acidente ainda pior — disse o motorista da Transurb Nilson de Souza.

Oito pessoas ficaram levemente feridas na colisão. Três foram levadas por bombeiros do Quartel de Vila Isabel para hospitais particulares e outras cinco para o Souza Aguiar, no Centro. Os bombeiros informaram os nomes de apenas três vítimas: Joaquim Valdir da Silva, de 76 anos, Walkyr de Almeida Ferreira, de 72, e Indiara Aparecida de Santana Vieira, de 23.

Quatro PMs ficaram feridos após a colisão das viaturas que perseguiam os bandidos. - Foto: Pablo Jacob



Os criminosos continuaram a fuga pela Rua Maxwell. No cruzamento com a Rua Gonzaga Bastos, duas viaturas do 6 BPM que estavam perseguindo os bandidos bateram de frente. O soldado Rogério da Costa Marinho foi levado com escoriações para o Hospital do Andaraí. O cabo Cabo Geremias da Cruz teve fratura numa costela e foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, onde permanece internado. Outros dois policiais também foram medicados no HCPM, e já tiveram alta.

Após a colisão, os dois bandidos conseguiram escapar. O caso foi registrado na 20ª DP (Vila Isabel). Apesar de a polícia suspeitar que o ex-PM Denílson tenha reagido a um assalto, comerciantes da Rua Felipe Camarão disseram que nenhum estabelecimento foi roubado nesta quarta.

— Acho que os tiros foram intencionais — disse um comerciante, sem se identificar.

Por conta da colisão dos carros da polícia, um trecho da Rua Gonzaga Bastos ficou interditada ao trânsito durante toda a tarde, causando grandes congestionamentos em Vila Isabel e na Tijuca.

Estudante é morta a tiros

Thamires de Paiva Miranda: assassinada por motivo banal. - Foto de Reprodução.
juízo do 1º Tribunal do Júri da Capital decretou, nesta quinta-feira, a prisão preventiva de quatro acusados de envolvimento no assassinato da estudante Thamires de Paiva Miranda, de 15 anos, e na tentativa de homicídio de seu namorado, Jacson Generoso Cambuí, de 24. O crime ocorreu na noite de 8 de julho, horas depois de Thamires ter brigado com uma colega de escola e ser agredida pelo namorado da jovem, identificada como Ana Paula Alves de Souza, de 21 anos. A discussão ocorreu na Escola Municipal Professor Gilberto Bento da Silva, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. A briga ocorreu porque Ana Paula insistia em falar ao celular em sala de aula, o que irritava Thamires.

Thamires já estava na casa do namorado, também em Campo Grande, quando quatro homens, em dois carros, pararam no portão à procura do casal. Os dois saíram correndo, mas a adolescente foi atingida por pelo menos três tiros de fuzil e morreu. Jacson conseguiu pular o muro do quintal e escapou dos assassinos.

Os quatro denunciados à Justiça pelo promotor Marcus Vinicius Leite, titular da 20ª Promotoria de Investigação Penal (PIP), são o ex-PM Marco Aurélio Ferraz de Souza, de 42 anos, pai de Ana Paula; Nivaldo de Souza Machado Júnior, de 30, tio da jovem; Thiago Sacramento Sant'ana, namorado dela; e o sargento bombeiro Claudio José Maciel da Fonseca, de 42.

O caso ficou conhecido em todo o país pela futilidade da motivação dos crimes − represália a discussão entre Thamires e Ana Paula −, além da brutalidade de sua execução.

Dor e revolta marcaram o enterro de Thamires. - Foto: Cléber Júnior/10.07.2009

Emoçao na hora do enterrro da menina . morta a tiros por Bandidos Safados.

Presso chefe do trafico

Severo, Rosivaldo e Bruno: traficantes foram presos num apartamento de classe média na Tijuca. - Foto: Marcelo Franco

Policiais da 19ª DP (Tijuca) prenderam, nesta quinta-feira, num apartamento de classe média na Rua Conde de Bonfim, na Tijuca, Severino Cícero de Lima, o Severo, de 22 anos. Ele á acusado de chefiar as bocas-de-fumo no Morro do Borel, no mesmo bairro. Também foram presos no apartamento Rosivaldo Rodrigues Pontes, o Pará, de 26 anos, e Bruno Carlos dos Santos, o Motoqueiro Fantasma, de 21. Os dois seriam seguranças de Severo. No imóvel, os agentes apreenderam uma pistola calibre 9 milímetros e outra calibre 380. Os três foram presos em flagrante por porte ilegal de arma, já que não há mandado de prisão contra eles. O trio foi indiciado por tráfico de entorpecentes no inquérito da 19ª DP que investiga a venda de drogas no Borel.

O "mandato" de Severo como chefão do tráfico no Borel durou apenas 25 dias. Ele foi "empossado" no cargo após a prisão, no último dia 2, de William Rodrigues Vieira, o Robocop, de 34 anos, no alto do Borel. A prisão de Robocop, feita por policiais do 6º BPM (Tijuca), gerou polêmica: em depoimento na 17ª DP (São Cristóvão), o bandido disse que os PMs teriam extorquido R$ 50 mil para libertá-lo.

Severo disse aos agentes da 19ª DP que alugou há três meses o apartamento onde estava morando. O imóvel servia para o bandido dormir durante o dia, já que à noite ele cuidava do funcionamento das bocas-de-fumo. No imóvel, de quarto e sala, os policiais encontraram três colchonetes, uma bicama, uma TV, um video-game, e caixas de pizza. Na cozinha, havia apenas uma geladeira velha.

— Severo foi escolhido para suceder Robocop interinamente por ter o segundo grau completo e por não ser viciado em drogas. A quadrilha estava esperando uma ordem de Isaías do Borel (Isaías da Costa Rodrigues, preso em Catanduvas, no Paraná) para saber quem assumiria o posto definitivamente — explicou um investigador.

Severo não tinha passagens pela polícia. Pará já havia sido preso por porte ilegal de arma, e Motoqueiro Fantasma, por tráfico. Ele é suspeito de cometer diversos roubos na região da Tijuca. Para cometer os crimes, utilizava uma motocicleta, principalmente à noite e de madrugada.

— Daí a razão do apelido — disse um policial da 19ª DP.

Veja também:

Preso, Robocop diz ter entregado ouro a PMs

Trechos do depoimento de Robocop na polícia

Robocop teria "perdido" R$ 50 mil para PMs que o prenderam


Enviado por Marcelo Gomes -
27.8.2009
19h54m
sistema carcerário

Juízes eleitorais são contra presos provisórios votarem nas eleições

Um acalorado debate sobre o direito de voto dos presos provisórios marcou o encerramento do primeiro dia do 46º Encontro do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). A discussão foi provocada pelo presidente do TRE-MS, Luiz Carlos Santini, a partir de um programa exibido pela TV Justiça em que representantes da pastoral carcerária e de entidades de direitos humanos anunciavam um movimento para garantir o voto dos presos.

— O direito deve estar fundado na realidade — disse o presidente do TRE-MS, ao defender que o pedido seria “impossível de realizar”.

O presidente do TRE-RJ, desembargador Alberto Motta Moraes, também fez uma firme defesa da necessidade de rejeitar o movimento. Ele sugeriu que a negativa do voto aos presos provisórios constasse ainda da carta de conclusão do encontro, que vai ser assinada neste sábado

— Existe uma impossibilidade fática. Algumas pessoas agem como se vivessem na Ilha da Fantasia. Elas desconhecem as dificuldades de realizar uma eleição, em especial em grandes centros como Rio em São Paulo. No Rio, ninguém vai querer ser mesário nos presídios de Bangu — argumentou Motta Moraes.

Você acha que os presos que ainda não foram condenados devem ter o direito de votar?


Enviado por Ana Carolina Torres -
27.8.2009
19h25m
MILÍCIA NA BAIXADA

Quem é quem na quadrilha?

Veja a prisão de Didi

BONDE DO JURA (Segundo informações do relatório de inteligência da polícia)

Juracy Alves Prudêncio, o Jura (preso) - sargento da PM. Ele é acusado de chefiar a mair e mais violenta milícia da Baixada Fluminense, autodenominada “Bonde do Jura”. Ele é suspeito de ameaçar de morte o deputado estadual Marcelo Freixo, que presidiu a CPI das Milícias; policiais da 3 Delegacia de Polícia Judiciária Militar, que investigava o grupo; e agentes da Polícia Federal de Nova Iguaçu.

Washington das Neves de Melo (foragido) - acusado de ser segurança da quadrilha. Já foi preso duas vezes por porte ilegal de arma e tinha mandado de prisão por homicídio pendente.

Ubiraci Araújo da Fonseca, o Bira (foragido) - denunciado em inquérito de homicídio, é apontado como cobrador das taxas de segurança cobradas pelo bando.

Daniel de Lima Machado, o Cabeça (preso) - foi preso em flagrante em 2006 porte ilegal de arma de fogo e formação de quadrilha. É acusado de ser segurança da quadrilha.

Wilson Ramos Pereira Junior, o Didi ou Wilsinho (preso) - é acusado de constrangimento ilegal. Seria segurança do bando.

Cesar Sisnande dos Santos, o Chorrão (preso) - Cabo da PM, é apontado como miliciano em processo da 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu.

Antônio Marcos do Carmo Peixoto (preso) - Soldado da PM, é acusado de dano em inquérito da 55ª DP (Queimados).

Sérgio Pereira Reis (preso) - Sargento da PM, é acusado de formação de quadrilha e homicídio em inquérito da 58ª DP (Posse).

Marcos de Paula Toledo (foragido) - Soldado da PM, tem anotação criminal por lesão corporal.

Eduardo Cardoso Livramento, o Dudu (preso) - Soldado da PM, tem anotações criminais por latrocínio (roubo seguido de morte) e extorsão.

José Carlos Valle da Silva, o Valle (foragido) - é acusado de homicídio e lesão corporal em crimes relativos à disputa pelo controle do transporte alternativo em Nova Iguaçu investigados pela 56ª DP (Comendador Soares). É também apontado como autor de disparos contra uma equipe da 3ª DPJM que o investigava. Por isso, foi expulso da corporação este ano.

André Barbosa Cabral, o Cabral (preso) - é acusado de tentativa de homicídio em inquérito da 58ª DP.

Marcelo Anderson de Moraes Loureiro, o Marcelinho Trololó (preso) - Soldado da PM. Foi reconhecido por testemunhas como integrante do Bonde do Jura.

Flávio Cândido da Silva, o Flavinho (foragido) - Cabo da PM que, segundo as investigações da Draco, integra a quadrilha.


Enviado por Ana Carolina Torres -
27.8.2009
18h57m
PERDEU, JURA

Tecnologia contra a milícia

Durante a operação desta quinta-feira, a tecnologia usada pela Draco em suas ações ficou conhecida: além de contarem com computadores de último tipo, aparelhos de escuta sofisticados, os investigadores filmam o que acontece nas ruas. As imagens são passadas em tempo real para um computador, na sede da delegacia.

— Isso é ótimo para, por exemplo, caso alguma testemunha não queira se expor. Ela pode fazer o reconhecimento pela tela — contou o inspetor Jorge Gerhard.

A câmera foi usada para que os agentes tentassem identificar pessoas que pudessem estar com os suspeitos que tiveram a prisão decretada.

— A quadrilha tem cerca de 70 integrantes. Vinte já estão identificados. Queremos agora saber quem são os demais — disse Gerhard.

Clique aqui e assista ao vídeo feito pela Draco


Enviado por Fernando Torres e Marco Antônio Martins -
27.8.2009
18h21m
Milícia

Miliciano estava lotado na Alerj

O policial militar Juracy Alves Prudencio, o Jura, suspeito de integrar uma milícia na Baixada Fluminense, esteve durante o ano de 2009 lotado na Assembleia Legislativa (Alerj). O PM foi requisitado para trabalhar na Assembleia pelo deputado estadual Walney Rocha (PTB). Atualmente, Walney é secretário municipal de Obras de Nova Iguaçu. Jura retornou à PM no início deste mês de agosto. De acordo com policiais, ele estava licenciado no 21º BPM (São João de Meriti).


Enviado por Marcelo Gomes -
27.8.2009
15h50m
assassinato brutal na zona oeste

Quatro acusados de matar estudante têm a prisão preventiva decretada

Thamires de Paiva Miranda: assassinada por motivo banal. - Foto de Reprodução.O juízo do 1º Tribunal do Júri da Capital decretou, nesta quinta-feira, a prisão preventiva de quatro acusados de envolvimento no assassinato da estudante Thamires de Paiva Miranda, de 15 anos, e na tentativa de homicídio de seu namorado, Jacson Generoso Cambuí, de 24. O crime ocorreu na noite de 8 de julho, horas depois de Thamires ter brigado com uma colega de escola e ser agredida pelo namorado da jovem, identificada como Ana Paula Alves de Souza, de 21 anos. A discussão ocorreu na Escola Municipal Professor Gilberto Bento da Silva, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. A briga ocorreu porque Ana Paula insistia em falar ao celular em sala de aula, o que irritava Thamires.

Thamires já estava na casa do namorado, também em Campo Grande, quando quatro homens, em dois carros, pararam no portão à procura do casal. Os dois saíram correndo, mas a adolescente foi atingida por pelo menos três tiros de fuzil e morreu. Jacson conseguiu pular o muro do quintal e escapou dos assassinos.

Os quatro denunciados à Justiça pelo promotor Marcus Vinicius Leite, titular da 20ª Promotoria de Investigação Penal (PIP), são o ex-PM Marco Aurélio Ferraz de Souza, de 42 anos, pai de Ana Paula; Nivaldo de Souza Machado Júnior, de 30, tio da jovem; Thiago Sacramento Sant'ana, namorado dela; e o sargento bombeiro Claudio José Maciel da Fonseca, de 42.

O caso ficou conhecido em todo o país pela futilidade da motivação dos crimes − represália a discussão entre Thamires e Ana Paula −, além da brutalidade de sua execução.

Dor e revolta marcaram o enterro de Thamires. - Foto: Cléber Júnior/10.07.2009

Leia também:

Muita emoção no enterro de Thamires


Enviado por Fernando Torres -
27.8.2009
13h31m
MILÍCIA DESARTICULADA

Jura tentou vaga na Câmara de Vereadores

No ano passado, o policial militar Juracy Prudêncio, o Jura, preso pela Draco, nesta quinta-feira, foi candidato a vereador de Nova Iguaçu pelo Partido Republicano Progressista (PRP) e recebeu 9.335 votos.

Ele teve apoio político de Natalino e Jerônimo Guimarães, o Jerominho, presos por ligação com a Liga da Justiça, milícia da Zona Oeste do Rio.


Enviado por Fernando Torres -
27.8.2009
12h51m
OPERAÇÃO NA BAIXADA

Milicianos exploram bairros pobres

A milícia de Jura atua, principalmente, em comunidades carentes de Nova Iguaçu como Vila Tânia, Morro Agudo e Ouro Preto.

De acordo com a polícia, para conseguir dinheiro, os bandidos cobram comissões para realização de bailes funk, obrigam os barraqueiros a comprarem cerveja a preços superfaturados e recolhem um "troco" para garantir a segurança do comércio.

Eles estariam envolvidos na morte de dezenas de pessoas que teriam se recusado a pagar as taxas.


Enviado por Fernando Torres -
27.8.2009
11h32m
MILICIANOS PRESOS NA BAIXADA

Draco na cola de Jura há um ano

A Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) investiga, desde 2008, o grupo de milicianos comandado por Juracy Alves Prudêncio, o Jura, de 37 anos. Ao longo deste período, a unidade avocou inquéritos de outras delegacias por considerar o assunto emergencial e de extrema importância.

Além da 58ª DP (Posse), que também participa da operação desta quinta-feira, outras equipes da Polícia Civil seguiam o rastro do policial militar afastado da corporação. Investigadores da 56ª DP (Comendador Soares) passaram à Draco um inquérito que investiga dois homicídios cometidos por Jura.


Enviado por Ana Carolina Torres -
27.8.2009
9h42m
POLÍCIA PRENDE JURA

Milícia envolvida em mais de cem mortes na Baixada

A milícia chefiada pelo PM Juracy Alves Prudêncio, o Jura, é acusada de cometer mais de cem homicídios na Baixada Fluminense. De acordo com o serviço de inteligência da Delegacia de Repressão ao crime Organizado (Draco), o bando além de cobrar taxas de motoristas de van e de explorar a venda de gás, também controlava toda a produção de CDs e DVDs piratas comercializados na Baixada.

Até agora, sete pessoas foram presas, entre elas o próprio Jura e cinco outros policiais militares. Outros três PMs que fazem parte da quadrilha também estão sendo procurados. Ao todo a polícia tenta cumprir 14 mandados de prisão e 16 de busca e apreensão.


Enviado por Ana Carolina Torres -
27.8.2009
9h29m
Nove PMs estão sendo caçados pela polícia

Chefe de milícia da Baixada é preso

Apontado pela polícia como sendo o chefe de uma milícia que atua na em pelo menos três municípios da Baixada Fluminense, o cabo PM e ex-candidato a vereador em Nova Iguaçu, Juracy Alves Prudêncio, o Jura, de 37 anos, foi preso por policiais da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco). Na manhã desta quinta-feira,os agentes da Draco e da Corregedoria da PM deflagraram uma operação especial para desmantelar a milícia que age na Baixada Fluminense. Também já foi preso Wilson Pereira Junior, o Didi. Além dele, outras 18 pessoas estão sendo procuradas. Deste total, pelo menos nove são policiais militares. A polícia também tenta cumprir 16 mandados de busca e apreensão. Os presos e todo material apreendido na operação estão sendo encaminhados para a sede da Draco, no prédio da Polinter, no Centro do Rio.


Enviado por Sérgio Meirelles -
26.8.2009
23h02m
Crime em Duque de Caxias

Adolescente fica nove horas em poder de bandidos

Uma adolescente de 14 anos foi libertada, na noite desta quarta-feira, depois de ficar nove horas em poder de traficantes de drogas da favela Santa Lúcia, em Duque de Caxias. A jovem foi encontrada, por volta das 20h, por policiais do 15BPM amarrada em uma casa. Ela contou aos PMs que fora estrupada e torturada pelos bandidos e que os criminosos iriam matá-la durante a madrugada.

Muito machucada, a menina foi levada para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna. A adolescente disse aos PMs que não mora na favela, e que os traficantes a sequestraram às 11h. Segundo a menina, os bandidos a confundiram com um informante da polícia. O caso foi registrado na 62DP (Imbariê).


Enviado por Marcelo Gomes -
26.8.2009
21h00m
confusão em vila isabel

Assalto, perseguição e dois acidentes de trânsito deixam 13 feridos

Um dos ônibus ficou com a frente destruída na batida, que deixou oito feridos. - Foto: Pablo Jacob

Uma suposta tentativa de assalto, que resultou numa perseguição policial com tiroteio pelas ruas de Vila Isabel e em dois acidentes de trânsito, acabou com 13 pessoas feridas na tarde desta quarta-feira. Tudo começou quando dois bandidos numa moto atiraram no ex-PM Denílson de Sá Fernandes, de 33 anos, na Rua Felipe Camarão, por volta das 15h30m. Ele trabalhava como segurança das lojas na rua e está internado em estado grave no Hospital do Andaraí.

Após o crime, viaturas do 6º BPM (Tijuca) iniciaram uma perseguição. A moto passou em alta velocidade pelo cruzamento das ruas Maxwell e Barão de Mesquita. Para não passar por cima da moto, o motorista do ônibus da linha 422, da Transurb, que vinha pela Rua Paula Brito, freou bruscamente. O ônibus que estava atrás, da linha 226A, da Viação Tijuquinha, não conseguiu parar e bateu na traseira do veículo da frente.

— O sinal estava aberto para mim. Tive que parar para evitar um acidente ainda pior — disse o motorista da Transurb Nilson de Souza.

Oito pessoas ficaram levemente feridas na colisão. Três foram levadas por bombeiros do Quartel de Vila Isabel para hospitais particulares e outras cinco para o Souza Aguiar, no Centro. Os bombeiros informaram os nomes de apenas três vítimas: Joaquim Valdir da Silva, de 76 anos, Walkyr de Almeida Ferreira, de 72, e Indiara Aparecida de Santana Vieira, de 23.

Quatro PMs ficaram feridos após a colisão das viaturas que perseguiam os bandidos. - Foto: Pablo Jacob



Os criminosos continuaram a fuga pela Rua Maxwell. No cruzamento com a Rua Gonzaga Bastos, duas viaturas do 6 BPM que estavam perseguindo os bandidos bateram de frente. O soldado Rogério da Costa Marinho foi levado com escoriações para o Hospital do Andaraí. O cabo Cabo Geremias da Cruz teve fratura numa costela e foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, onde permanece internado. Outros dois policiais também foram medicados no HCPM, e já tiveram alta.

Após a colisão, os dois bandidos conseguiram escapar. O caso foi registrado na 20ª DP (Vila Isabel). Apesar de a polícia suspeitar que o ex-PM Denílson tenha reagido a um assalto, comerciantes da Rua Felipe Camarão disseram que nenhum estabelecimento foi roubado nesta quarta.

— Acho que os tiros foram intencionais — disse um comerciante, sem se identificar.

Por conta da colisão dos carros da polícia, um trecho da Rua Gonzaga Bastos ficou interditada ao trânsito durante toda a tarde, causando grandes congestionamentos em Vila Isabel e na Tijuca.


Enviado por Isabel Boechat -
26.8.2009
20h01m
terceirização

PM entrega 183 carros a quatro batalhões do interior

A Polícia Militar irá entregar 183 carros policiais a quatro batalhões do interior do estado. Os carros foram os primeiros a serem adiquiridos atraves de contrado com a empresa Julio Simões e são primeiros carros de polícia terceirizados fora da Região Metropolitana.

Para o 33º BPM (Mambucaba) serão entregues na próxima sexta-feira, 39 carros, sendo nove veículos Blazer e 30 Gol.

Para o 25º BPM (Cabo Frio) serão entregues 62 carros de polícia, no dia 3 de setembro, sendo 12 veículos Blazer e 50 Gol.

Para o 11º BPM (Nova Friburgo) serão 42 veículos entregues no dia 5 de setembro, oito carros Blazer e 34 carros Gol.

Para o 26º BPM (Petrópolis), serão 40 carros, sendo sete Blazer e 33 veículos Gol entregues no dia 5 de setembro.


Enviado por Giampaolo Braga -
26.8.2009
18h37m
segurança pública

Alerj aprova instalação de câmeras nos carros da polícia

A Assembleia Legislativa do estado do Rio (Alerj) aprovou nesta quarta-feira, em segunda discussão, o projeto de lei que determina a instalação de câmeras nos veículos das polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros para monitorar a atividade dos agentes de segurança. Pela proposta, de autoria do deputado estadual Gilberto Palmares (PT), as câmeras serão instaladas gradualmente, primeiro nos carros que forem adquiridos pelas secretarias de Segurança e de Defesa Civil e, depois, nos veículos já existentes. O projeto aprovado agora irá para o governador Sérgio Cabral, que terá 15 dias úteis para sancionar ou vetar a proposta.

E você, o que acha da ideia do monitoramento do trabalho de policiais e bombeiros?


Enviado por Casos de Polícia -
26.8.2009
16h55m
história viva

Exposição de veículos militares no Forte de Copacabana

O Clube dos Veículos Militares Antigos do Rio de Janeiro (CVMARJ) e o Forte de Copacabana realizam, entre a próxima sexta-feira e o domingo, dia 30, das 10h às 18h, o maior encontro de veículos militares do país. Em comemoração ao Mês do Soldado (cujo dia foi celebrado na terça-feira, 25 de agosto) e às vésperas dos 70 anos do início da Segunda Guerra Mundial (1º de setembro), cem colecionadores vão expor seus veículos. João Barone, baterista dos Paralamas do Sucesso que é pesquisador da área militar e escritor — além de presidente do Clube de Veículos Militares Antigos — estará no local autografando o livro "Minha Segunda Guerra", sobre sua viagem à Normandia, na França, no aniversário de 60 anos do Dia D. Haverá também apresentação de bandas militares e exposição de miniaturas de veículos.

São esperados mais de setenta mil visitantes. A entrada tem o mesmo valor da visitação do Forte de Copacabana: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia).


Enviado por Camilo Coelho -
26.8.2009
16h21m
PM

Carro da polícia bate durante perseguição

Um carro da polícia se envolveu em um acidente na esquina das ruas Gonzaga Bastos e Maxwell, em Vila Isabel, quando perseguia uma moto preta, que tinha o símbolo do Batman, com dois homens. Os policiais que estavam no carro, um soldado e um sargento, foram levados para o Hospital da Polícia Militar (HPM). Segundo as primeiras informações, eles estariam perseguindo bandidos que tinham acabado de praticar um assalto a uma loja na Rua Felipe Camarão, próximo à Praça Varnhagem. Um policial militar à paisana, que faria segurança nas ruas próximas, foi baleado e levado para o Hospital do Andaraí.


Enviado por Camilo Coelho -
26.8.2009
15h47m
Região dos Lagos

PM apreende maconha e cocaína em Araruama

Policiais do batalhão de Cabo Frio (25º BPM ) apreenderam tabletes de maconha e sacolés de cocaína em uma operação na Favela do Corte, em Araruama. O material estava sendo embalado na hora da chegada dos policiais, mas os bandidos conseguiram fugir.

Leia no Registro Policial


Enviado por Camilo Coelho -
26.8.2009
15h24m
Bomba

Polícia apreende anabolizantes em academia

Clique e veja uma entrevista com o delegado da Decon

Policiais da Delegacia do Consumidor (Decon) fizeram uma operação na noite de terça-feira em uma academia de Mesquita, na Baixada Fluminense, e flagraram a venda de anabolizantes e um estimulantes. Para tentar escapar da prisão pelo crime de comércio proibido de produto farmacêutico, que tem uma pena de até 15 anos de prisão, Wesley Moreira Nobre disse na delegacia que o material apreendido com ele era para consumo próprio.

Mas a alegação não foi suficiente para convencer o delegado Roberto Ramos, da Decon, que alegou ser impossível o consumo dos 1200 comprimidos apreendidos do remédio Pramil (que tem o mesmo efeito do Viagra, mas não é reconhecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa).

- Ele disse que o material apreendido era para consumo próprio porque ele estava fazendo um "ciclo" com a intenção de emagrecer e ficar forte. Mas e o Pramil? Aqui ele disse que tinha problemas sexuais. Ele ia usar todos aqueles comprimidos? - questionou o delegado.

Wesley foi preso no carro, na porta da academia Sargenthec, na Baixada, tentando fugir de policiais da Decon que faziam operação no local junto com membros do Conselho Regional de Educação Física. Foram apreendidas ampolas de Decadurabolim, Winstrol e Deca e os remédio Equipoise e Sibutramina - todos proibidos pela Anvisa.

Dentro do carro foi encontrada ainda uma agenda com as anotações de clientes e das vendas de "bombas". Em uma segunda apenas, no dia 27 de julho, Wesley vendeu diversos tipos de remédios, recebendo R$ 506.

- Esses remédios entram no Brasil de forma ilegal e são vendido em academias de todo o país para pessoas que querem ficar fortes sem malhar. Vamos continuar fiscalizando as academias - garantiu o delegado Roberto Ramos.

Na mesma academia, os policiais confirmaram a denúncia de que alguns professores não tinham curso de Educação Física. Uma mulher que foi flagrada dando aula no local acabou sendo detida. Ela foi liberada após pagar fiança. Segundo o delegado, essa foi a terceira passagem dela pela polícia.

- Eles usam pessoas que eram alunos e gostam de malhar para supervisionar. O dono da academia será identificado e chamado para prestar depoimento - disse o delegado.


Enviado por Isabel Boechat -
26.8.2009
12h24m
GPS

Alerj propõe que carros da polícia e bombeiros sejam monitorados

A proposta, se aprovada, poderá obrigar a instalação câmeras para registro de vídeo e áudio nas viaturas que servem às áreas de Segurança Pública e Defesa Civil. O assunto deve voltar à pauta da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), hoje, em segunda discussão.

Segundo o autor do projeto, o deputado Gilberto Palmares (PT), a proposta encarrega o Poder Executivo de instalar os equipamentos nos veículos que ainda serão adquiridos. E, nos já existentes, a instalação poderá ser feita de forma gradativa. A intenção, segundo o deputado, é ter um instrumento de monitoramento das ações dos policiais e bombeiros, e, assim, evitar possíveis abusos de poder.

— Caso aja mal, a polícia, por deter o monopólio estatal da violência legítima, é capaz de causar danos graves e irreparáveis, como o espancamento e a tortura de investigados, a falsa incriminação e o homicídio disfarçado de ato em legítima defesa. Isso gera a falta da confiança da população. Por esses motivos, as polícias devem, mais do que outras instituições públicas, ser submetidas a rígido controle — disse o parlamentar.

Segundo o texto da proposta, as câmeras ou microcâmeras deverão estar integradas ao sistema de comunicação central dos órgãos de Segurança Pública e Defesa Civil. As imagens deverão ser arquivadas por, no mínimo, dois anos.


Enviado por Isabel Boechat -
26.8.2009
12h01m
Troca-troca

PM muda comando de batalhões e mais uma mulher assume o posto

Mais uma mulher está a frente do comando de um Batalhão da Polícia Militar. O troca troca dos cargos de comando continua. Hoje o comandante geral da PM, coronel Mario Sérgio nomeou a tenente coronel Katia Neri Nunes Boaventura para assumir o comando do 10º BPM (Barra do Piraí).

O então comandante interino do batalhão, o tenente coronel Hércules Ferreira Brandão, foi exonerado do cargo e fica à disposição da Direção Geral de Pessoal (DGP) da PM para assumir outras funções.

Assim como ele, também deixa o comando do 28º BPM (Volta Redonda) para assumir funções no DGP, o tenente coronel Kleber dos Santos Martins. Quem assume é o tenente coronel Licínio Marcos Gonçalves Fróes, antes lotado no 12º BPM (Niterói).


Enviado por Camilo Coelho -
26.8.2009
9h41m
Carobinha

Depois de nove meses, morre jovem baleada

Clique para ver um vídeo feito com a sogra

A luta da jovem Roberta Helena dos Santos pela vida terminou na tarde de segunda-feira. Já sem forças depois de nove meses internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital de Saracuruna, Roberta deu seu último suspiro no horário da visita, na frente da sogra, Maria José da Silva. No hospital desde novembro do ano passado, quando levou um tiro na cabeça, na porta de casa, na Favela da Carobinha, a jovem de 20 anos estava variando entre melhoras e infecções hospitalares.

- Ela lutou muito, sofreu muito durante todo esse tempo. Foi muito difícil para mim ver o coração dela parar de bater. Ainda chamei os médicos, mas eles não conseguiram fazer a reanimação - disse a comerciante Maria José.

A morte de Roberta fez aumentar a tragédia na família. Quando levou o tiro, a jovem estava grávida de três meses. No primeiro mês da internação, o bebê não resistiu, morreu e os médicos foram obrigados a induzir o parto. Seria um menino, como queria o pai Alecsandro da Silva.

- A gravidez dela já era de risco. Nem sabemos se ela sabia durante esse tempo que tinha perdido o bebê. Ela apontava para a barriga, mas não sabíamos se ela queria saber como estava a criança ou se sentiu o que aconteceu - disse a sogra, que cuidava da menina desde os 14 anos:

- Meu filho ficou viúvo aos 23 anos, a ficha ainda não caiu. Eles namoravam desde criança, queriam tanto um filho. A gente acreditava que pelo menos ela voltaria - disse Maria.

Alecsandro, que trabalha como motorista de caminhão, estava terminando de montar a casa onde iria morar com a mulher e o filho, em um terreno próximo à casa da mãe. Faltava apenas colocar o piso da sala e pintar as paredes.

- A Roberta disse que só queria ter um filho quando tivesse carteira assinada e uma casa para morar. Eles estavam perto de completar esse sonho - revelou a sogra.

Os pais de Roberta, que moram em Sepetiba, também acompanharam de perto toda a luta da menina. Sempre juntos das duas irmãs dela, eles ficavam no hospital todos os fins de semana. A família também morava na Carobinha, foi quando a filha conheceu Alecsandro.

No início do tratamento, a jovem ainda conversou com a família, mas antes de completar dois meses no hospital ela já não conseguia falar. O último contato que teve foi usando papel e caneta. Ela pediu para comprarem frutas. O enterro aconteceu na tarde de ontem, no cemitério de Campo Grande.

Roberta Helena foi baleada numa tarde de sexta-feira, em novembro do ano passado. Ela estava preparando salgadinhos para o chá-de-fralda que aconteceria no domingo, quando precisou comprar alho e foi ao mercadinho que fica ao lado comprar tempero. Quando voltava para casa, bandidos armados entraram na rua e foram recebidos a tiros, possívelmente por milicianos. A jovem foi baleada na cabeça e caiu na calçada.

A família levou a jovem para o hospital Albert Schweitzer, em Realengo, mas não conseguiu atendimento. Precisaram passar por mais três hospitais até conseguirem atendimento para Roberta. Os autores dos disparos nunca foram localizados.


Enviado por Marcelo Gomes -
26.8.2009
7h00m
pesquisa inédita

Estudo mostra que 41% dos profissionais já foram ameaçados de morte

A pesquisa "O que pensam os profissionais da segurança pública no Brasil" também quis saber dos entrevistados se estes já foram vítimas de violência ou de violações de direitos humanos. O levantamento constatou que 41,8% dos 64 mil consultados já foram ameaçados de morte ou de violência física por criminosos; 22,2% foram vítimas de acidente de trânsito em serviço; e 20,5% foram torturados. (Nos questionários, a palavra "tortura" foi empregada de acordo com a Lei 9.455/97, que envolve imposição deliberada de sofrimento físico ou mental, e não apenas a ideia de práticas atrozes de violência física, como nos tempos da ditadura militar).

A pesquisa revelou que a incidência de tortura é muito maior entre PMs e bombeiros militares, em comparação com policiais civis. Isso sugere que a prática da tortura ainda é bastante presente nos cursos de formação militar no Brasil.

Ainda segundo o levantamento, 18,9% dos entrevistados foram vítimas de violência em serviço; 6,4% foram ameaçados de morte ou violência física por outro policial; 4,2% foram vítimas de violência física por parte de outro policial; e 2,6% foram baleados em serviço.

Apesar de todos os problemas, 55,3% dos entrevistados disseram que escolheriam a mesma carreira, caso pudessem optar novamente; 29% disseram que não; e 15,7% não responderam. Os mais satisfeitos com a carreira são os bombeiros (63,5%); seguidos pelos oficiais da PM (62,1%); agentes da Polícia Civil (54,9%); praças da PM (54,8%); guardas municipais (53,2%) e agentes penitenciários (49,5%). Os delegados da Polícia Civil são os menos satisfeitos, com apenas 48,9%.


Enviado por Marcelo Gomes -
26.8.2009
6h00m
pesquisa inédita

Profissionais de segurança querem unificação das polícias estaduais

Luiz Eduardo Soares. - Foto: Gustavo Azeredo/04.012007 Pesquisa realizada com 64.130 profissionais de segurança pública (policiais civis e militares, guardas municipais, agentes penitenciários e bombeiros militares) nos meses de abril e maio deste ano revela que 69,8% dos entrevistados não aprovam as polícias em que atuam, nem concordam com o seu atual modelo organizacional. Na opinião da maioria dos consultados pela pesquisa "O que pensam os profissionais da segurança pública no Brasil", as polícias Civil e Militar deveriam ser unificadas. O levantamento foi feito pelo Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Os policiais militares são mais "mudancistas" que os civis: 77% dos PMs são a favor de alterações nas polícias, opinião compartilhada por 51,9% dos policiais civis. Mudanças são defendidas por 65% dos guardas municipais, 62% dos bombeiros e 61% dos agentes penitenciários ouvidos pela pesquisa.

Entre os entrevistados, 35% defendem a unificação das polícias, sendo que a futura instituição seja desmilitarizada. Outros 15% também querem apenas uma só polícia, desde que esta seja militar. Na terceira proposta de mudança, escolhida por 12% dos entrevistados, cada polícia deve combater determinados tipos de crimes. Já 8% querem que cada polícia atue em determinada área do estado. Entre os consultados, 20% querem a manutenção do atual modelo das polícias Militar e Civil. E 10% não se manifestaram.

— O resultado da pesquisa é surpreendente, já que os políticos que falam em nome dos policiais sempre acusaram os que pregam mudanças nas polícias de estarem contra os profissionais de segurança. Mas o que importa é que o estudo abre caminho para uma discussão política séria sobre a mudança nas polícias — disse o sociólogo Luiz Eduardo Soares, que coordenou o trabalho juntamente com Sílvia Ramos, coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec) da Universidade Candido Mendes, e de Marcos Rolim, pesquisador e Professor da Cátedra de Direitos Humanos do Centro Universitário Metodista do Rio Grande do Sul.

Veja o resumo do relatório da pesquisa.

Veja a íntegra do relatório da pesquisa.

Leia a matéria completa

Você concorda com os resultados da pesquisa? Dê sua opinião.


Enviado por Sérgio Meirelles -
25.8.2009
23h52m
Dois dias no cativeiro

Polícia liberta mulher sequestrada em Caxias

Uma mulher, que fora sequestrada no último domingo, em Duque de Caxias, foi libertada nesta terça-feira por policiais da 60ª DP. A vítima estava em um cativeiro em Campos Elíseos, no mesmo município. Ela passa bem. Segundo o delegado Luiz Lima Ramos Filho, a mulher foi levada de casa por cerca de seis homens. Além do sequestro, os bandidos roubaram dois carros e eletrodomésticos da família. No cativeiro, a polícia prendeu Jairo Costa da Silva, de 20 anos. Ele seria o responsável pela guarda da sequestrada. Uma pistola foi apreendida com o suspeito. A mulher contou aos agentes que não foi agredida, mas que ficou sem comer nos últimos dois dias. Não houve pagamento de resgate. A polícia, agora, está á procura do restante da quadrilha.


Enviado por Marcelo Gomes -
25.8.2009
22h44m
fiscalização das polícias

MP lança manual de controle externo da atividade policial

Claudio Lopes, procurador-geral de Justiça do Rio. - Foto: Hipólito Pereira/15.01.2009

Foi lançado nesta terça-feira, no Ministério Público do Estado do Rio, o Manual de Controle Externo da Atividade Policial. Elaborado por membros do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça (CNPG) após um ano de estudos, o documento, com 104 páginas, é uma espécie de bê-á-bá das rotinas que devem ser cumpridas pelos promotores de Justiça, que têm a atribuição constitucional de fiscalizar o trabalho das polícias Civil e Militar. Entre as atividades listadas no manual como indispensáveis para o cumprimento do dever do MP, estão visitas mensais a delegacias, controle das armas e drogas apreendidas e verificação do número de mandados de prisão cumpridos. O manual também aponta alguns problemas da atividade policial, como corporativismo, ação de comandos que impedem ou retardam a tramitação de inquéritos e a pouca eficiência das corregedorias.

O procurador-geral de Justiça do Rio, Claudio Lopes, instituiu uma comissão mista — formada por membros do Ministério Público e da Secretaria estadual de Segurança — que terá 60 dias para determinar como a fiscalização acontecerá na prática.

O manual foi lançado durante a eleição do novo presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça (CNPG), realizada nesta terça-feira na sede do MP do Rio.

Você aprova a criação do manual organizado pelo Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais? Dê sua opinião.


Enviado por Sérgio Meirelles -
25.8.2009
20h17m
Livro aponta soluções

Sociedade discute Segurança Pública em Brasília

O maior encontro para discutir a segurança pública no país vai acontecer de quinta-feira a domingo, em Brasília. A 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública deve reunir cerca de 3 mil pessoas, entre autoridades e representantes da sociedade civil, para propor medidas que visam diminuir os altos índices de criminalidade e uma participação mais efetiva da população nas decisões do governo sobre segurança pública.

Pensando em oferecer aos debatedores da reunião um excelente instrumento de reflexão sobre o tema, o Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase) vai lançar no evento o livro "Diálogos sobre a violência e segurança pública - Razões e urgências".

A publicação é fruto de uma série de encontros, realizados em 2007 e 2008, entre organizações não governamentais que integram o Observatório da Cidadania, como o Ibase, Cfemea, CESeC, Criola e Inesc. O Observatório da Cidadania é uma iniciativa mundial Social Watch, que desde 1995 monitora e avalia o cumprimento de metas sociais pelos governos de 60 países.

O livro traz seis artigos de especialistas em segurança pública, além de uma entrevista com José Júnior, coordenador executivo do grupo AfroReggae, do Rio de Janeiro. Ele analisa as mudanças nas dinâmicas do tráfico e da violência armada que atingem adolescentes e jovens nas favelas cariocas.

_Hoje, a nossa motivação é criar uma ponte de mão dupla, que integre pessoas diferentes_ observou José Júnior.

A cientista social Sílvia Ramos, coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC), da Universidade Cândido Mendes, apontou os jovens negros, do sexo masculino, com baixa escolaridade e renda, moradores de favelas e periferias do centros urbanos, como sendo o perfil das vítimas de homicídios. O artigo da socióloga diz ainda em seu artigo que a taxa de homicídios no Rio de Janeiro atinge a picos de 400 mortes por cada cem mil habitantes, oito vezes maior que a média nacional.

Luiz Eduardo Soares, secretário municipal de Valorização da Vida e Prevenção da Violência de Nova Iguaçu, município da Região Metropolitana do Rio, considera que a participação da sociedade é fundamental para mudar o atual quadro da segurança pública no país.

_ Devemos reconhecer que não vamos mudar essa polícias sem a participação de segmentos policiais, mas não vamos mudar só com isso. Ao contrário, a direção deve envolver a sociedade _diz Luiz Eduardo

Devemos reconhecer que não vamos mudar essas polícias sem a participação de segmentos policiais, mas não vamos mudar só com isso. Ao contrário, a direção tende a – e deve – envolver a sociedade

A antropóloga Paula Miraglia, do Instituto Latino-americano das Nações Unidas para a prevenção do delito e Tratamento do Delinquente enfatizou a necessidade da participação da sociedade civil na elaboração de políticas de segurança no país.

_Os movimentos sociais nunca se aproximaram do assunto, e a segurança pública, portanto, nunca foi formulada como um direito a ser reivindicado por esses grupos_diz Paula Miraglia.

Um artigo elaborado por organizações do Fórum de Entidades Nacionais de Direitos Humanos (FENDH) defende que toda política de segurança pública deve ter a garantia dos direitos humanos.

“É impossível debater Segurança Pública no Brasil sem pautar a questão do racismo institucional e do extermínio de jovens negros; da humanização do sistema penitenciário; da unificação e desmilitarização das policias; da violência policial, execuções sumárias e tortura”, alertam os autores do artigo.


Páginas: 1 2 3 4 5 6 7

Histórico

2009:

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez


2008:

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez



Menino desaparecido a um mes é achado morto.

Rafael sumiu na favela Gogó da Ema. Ele foi morto com vários tiros
Policiais da 30 DP (Marechal Hermes) localizaram nesta quinta-feira, no Morro do Chapadão, em Pavuna, o corpo do estudante Rafael dos Santos Bernardo, de 16 anos. O adolescente estava desaparecido há seis dias. Parentes reconheceram o corpo do jovem, que apresentava diversas marcas de tiros.

Rafael desapareceu na última sexta-feira, após uma operação de policiais do 14º BPM (Bangu) na Favela Gogó da Ema, em Guadalupe, onde o jovem teria ido para visitar a namorada. Familiares receberam a informação de que Rafael teria sido morto por PMs. Segundo eles, o rapaz teria sido confundido com um traficante.

O corpo foi encontrado a menos de dois quilômetros do local onde houve o tiroteio entre a polícia e traficantes. Após a operação, os PMs registraram uma ocorrência na 30ª DP (Marechal Hermes) de auto de resistência (quando a vítima morre em confronto com policiais). Eles apresentaram na delegacia uma arma e um radiotransmissor. Não houve menção ao sumiço de Rafael no registro policial.

O rapaz saiu de casa na manhã do dia 21. Ele iria apresentar documentos na Escola de Material Bélico, onde participava do Programa Rio Criança Cidadã, do Exército, e, de lá, seguiria para a Escola São João Batista. No entanto, Rafael faltou aos compromissos para encontrar a namorada. A família de Rafael não a conhecem.

Legista afirma oficialmente que morte de Michael Jackson foi homicídio

Michael Jackson em ensaio na véspera de sua morte / Reprodução

LOS ANGELES - O legista do município de Los Angeles divulgou que a morte de Michael Jackson foi um homicídio causado principalmente pela combinação de duas drogas. O relatório dos legistas afirma oficialmente, pela primeira vez, que o cantor foi assassinado. A família de Jackson divulgou comunicado elogiando as investigações da polícia. "Esperamos o dia em que a Justiça será feita", diz a nota.

O médico particular de Michael Jackson, Conrad Murray, pode ser indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar). O Departamento de Polícia de Los Angeles disse que sua investigação sobre a morte do cantor segue em andamento, mas que policiais estão repassando o caso a procuradores para que possíveis acusações criminais sejam feitas.

No comunicado divulgado nesta sexta-feira, o legista afirmou que a causa da morte foi uma intoxicação aguda causada pelo anestésico propofol. Outros sedativos contribuíram para a morte, mais notadamente o lorazepam.

A lista de drogas no organismo de Jackson é uma mistura de um coquetel de sedativos, analgésicos e um estimulante. O midazolam é um sedativo similar ao propofol, usado para deixar pacientes sonolentos mas não inconscientes durante procedimentos como a colonoscopia. O diazepam, versão genérica do Valium, é usado para diminuir a ansiedade, enquanto a lidocaína é um analgésico e a efedrina é um estimulante.

O legista não liberou todo o conteúdo do laudo da autópsia do cantor, afirmando ser uma questão de segurança requisitada pelas autoridades de Los Angeles.

O Dr. Conrad Murray, médico particular do pop star, disse à polícia que aplicou propofol em Jackson na manhã do dia 25 de junho, após ter administrado uma série de sedativos que não foram capazes de fazer o cantor dormir. Murray já era alvo do que a polícia chama de uma investigação por crime de negligência.

Michael Jackson morreu no dia 25 de junho e completaria 51 anos neste sábado. O enterro seria na data do aniversário mas foi adiado para quinta-feira.

Leia mais:

Dado de bem com Carlinhos

Após discutirem feio no programa Hoje em Dia, da Record, quarta-feira, Dado Dolabella e Carlinhos voltaram às boas. Quando o programa acabou, Carlinhos foi até a noiva do galã, Viviane Sarahyba, na plateia, e pediu desculpas. "Você está grávida e vi que ficou nervosa enquanto eu discutia com o Dado. Desculpa", pediu ele. "Achei a atitude dele bacana, porque ele não estava só atacando a mim, mas a minha mulher e a minha família. Ele também disse que não ia falar mais de mim", contou Dado.

Carlinhos ainda deu uma de conselheiro para o ex-colega de A Fazenda: "Dado, tenha juízo. Você vai ser pai e casar". Mais tarde, Latino e Carlinhos se encontraram numa festa em Sampa. Latino, que havia chamado o cara de "fura-olho", também no Hoje em Dia, por causa da mulher do cantor, a Mirella, partiu pra cima dele, tentando enforcá-lo. Mas, calma! A briga (foto) foi de mentirinha.